Urgente! Prefeito Nivaldo cancelou o Carnaval em São João del-Rei

Spread the love

O prefeito Nivaldo Andrade (PSL) antecipou em um dia, e confirmou nesta segunda-feira (29) o cancelamento do Carnaval 2022 em São João del-Rei.

Dores de Campos

“Não vou colocar a saúde da população dorense em risco”, destacou o prefeito Marcinho do Tica (MDB), com absoluta exclusividade, ao PORTAL DORES DE CAMPOS, ao ser questionado sobre a realização do Réveillon e do Carnaval 2022, em razão da pandemia de Covid-19. O prefeito enfatizou, que está aguardando a convocação de uma reunião na AMVER (Associação dos Municípios da Microrregião dos Campos das Vertentes), para que os 19 municípios participantes possam tomar a decisão de forma conjunta. “Não podemos brincar, é uma decisão muita séria que deve envolver todos as cidades da nossa região”, destacou o prefeito. Nos bastidores, a nossa reportagem apurou que o cancelamento do Réveillon já é praticamente certo, mesma tendência para o Carnaval.

Governo de Minas

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) está aconselhando os 853 municípios do Estado a não realizarem o Carnaval 2022. A informação foi repassada pelo secretário Fábio Baccheretti em entrevista ao jornal O TEMPO. Segundo ele, o governo estadual não irá incentivar a realização de grandes eventos públicos, como desfiles de escolas de samba e blocos de rua, mas vai orientar os prefeitos a se prepararem para as manifestações espontâneas. Por conta do crescimento acelerado de casos de Covid-19 em diversos países da Europa, há uma indefinição das prefeituras mineiras sobre a realização ou não da folia. O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) já se manifestou pela suspensão do Carnaval em todo o Brasil.

Divinópolis cancelou

O prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo, confirmou, nesta quinta-feira (25), que não haverá Carnaval na cidade em 2022. Este será o segundo ano consecutivo que o evento não será realizado na cidade do Centro-Oeste de Minas em decorrência da pandemia da COVID-19.A questão econômica com o temor de uma nova paralisação das atividades parece ter pesado na decisão: “Vocês lembram daquele bordão, fica em casa depois a gente vê a economia? Agora é: vamos trabalhar, depois a gente faz festa”. O anúncio foi feito por meio de vídeo nas redes sociais. Com direito a música e dança, o prefeito e a vice-prefeita, Janete Aparecida, ambos, fizeram um esquete improvisado ao som da música Globeleza para anunciar o cancelamento da Festa.

Sul de Minas

Oito cidades do Sul de Minas cancelaram as festividades do Réveillon e o Carnaval 2022, em razão da Covid-19. Na capital Belo Horizonte, a Prefeitura confirmou que não irá patrocinar a folia.

São elas:

Borda da Mata

Brazópolis

Cambuí

Córrego do Bom Jesus Gonçalves

Paraisópolis

Poços de Caldas

Sapucaí Mirim

Presidente Bolsonaro é contra o Carnaval 2022

O presidente Jair Bolsonaro é contra a realização do Carnaval em 2022. A declaração do presidente foi dada durante entrevista concedida à Rádio Sociedade, da Bahia, nesta quinta-feira (25). O presidente disse temer uma nova onda de casos e acusou prefeitos e governadores de terem ignorado o risco da doença no início de 2020. Na entrevista, Bolsonaro disse que em fevereiro do ano passado, quando “estava engatinhando a questão da pandemia”, ele decretou emergência e, segundo ele, os prefeitos e governadores ignoraram. Bolsonaro argumentou que decisões do Supremo Tribunal Federal dão a estados e municípios autonomia sobre restrições na pandemia. “Por mim, não teria Carnaval. Só que tem um detalhe: quem decide não sou eu. Segundo o Supremo Tribunal Federal, quem decide são os governadores e os prefeitos. Não quero aprofundar nessa que poderia ser uma nova polêmica”, disse o presidente.

“As consequências vieram. Chegamos a 600 mil óbitos. E alguns tentaram imputar a mim essa responsabilidade. Não tenho culpa disso. Não estou esquivando, nem apontando outras pessoas. É uma realidade, é uma verdade. Todo o trabalho de combate à pandemia coube aos prefeitos e aos governadores. O que coube a mim? Mandar recursos”, disse Bolsonaro. Na entrevista, o presidente disse que teme que uma retomada de casos no país tragam novas restrições. “Estou vendo que alguns países da Europa estão retomando medidas de lockdown. Se tiver outro lockdown no Brasil, em estados e municípios, vai quebrar de vez a economia”, disse Bolsonaro, voltando a afirmar que os mais idosos e com comorbidades são os maiores acometidos pela doença.

Comentar

Seu email não será publicado. É necessário preencher os campos com * *

*