Prefeito entregou projeto das vacinas e falou sobre a Onda Roxa

Spread the love

O prefeito Marcinho do Tica (MDB) entregou ao presidente da Câmara, vereador Guilherme do Valtinho (MDB) na manhã desta sexta-feira (12) o projeto de lei 07/2021 que coloca Dores de Campos no Consórcio Nacional para a compra de vacinas contra o coronavírus. Na oportunidade, o prefeito também comentou sobre a entrada de Dores de Campos na Onda Roxa do Minas Consciente a partir deste sábado (13). Também participaram o vereador Luciano Martins (MDB), o sargento Paulo Resende da Polícia Militar e a secretária municipal de saúde, Viviane Ferreira.

URGENTE! Dores de Campos e todos os demais municípios da região, irão entrar na Onda Roxa do Programa Minas Consciente a partir do próximo sábado (13) em razão do aumento significativo dos casos de coronavírus em todo o estado de Minas Gerais. Desta forma, serão tomadas uma série de medidas de restrição e circulação de pessoas, com destaque para o toque de recolher entre oito horas da noite e cinco da manhã, além de funcionamento apenas dos serviços essenciais.

O que é Onda Roxa?

O governador Romeu Zema explicou que o objetivo da onda roxa do Minas Consciente é reduzir drasticamente a velocidade de propagação do vírus e, assim, permitir que as macrorregiões restabeleçam a sua capacidade assistencial. Como o colapso em uma região gera impacto em toda a rede de atendimento do estado, devido à necessidade de transferência de pacientes, a adesão às medidas não será opcional.

“Antes, cabia aos prefeitos decidir se iriam aderir ao Minas Consciente. Com a onda roxa, a adesão é impositiva, porque estamos falando do colapso da rede de Saúde na região. Não é um problema municipal, é um problema regional. O município que estiver na onda roxa terá duras restrições de funcionamento das atividades econômicas e horários de funcionamento. Nós estamos falando de um risco sistêmico. Este momento é de união”, afirmou.

Zema também ressaltou que, até que o estado avance mais na vacinação, será necessário lidar com medidas restritivas para evitar a desassistência. “Não podemos perder o controle e deixar acontecer em Minas aquilo que vimos com tanta tristeza em outros locais, que é essa desassistência generalizada. Chegar em um hospital e não conseguir atendimento é uma cena de horror. Não queremos que isso aconteça em Minas Gerais”, disse. Segundo o Ministério da Saúde, 80 milhões de doses de vacina estão previstas para este bimestre para todo o país.

 

Ofertas do Supermercado Dorense

 

Um comentário

  1. PATRICK ALAIN MARCAL MELO

    Isso é a maior covardia que se faz com os comerciantes, fora que esta mais que provado que não tem resultados práticos, deviam fazer igual aos municípios que fazem o tratamento preventivo esse sim da resultado, recentemente vi uma entrevista com a prefeita de uma cidade em S.C que faz essa prática tiveram duas mortes somente sendo que uma não foi comprovada, o comércio esta funcionando normalmente e até as escolas estão funcionando. Aqui se faz essa covardia de fechar o comércio e querer manter as pessoas em casa onde se corre um risco muito maior de se contrair a doença. Deviam se espelhar nessas cidades que realmente pensam na sua população que ao invés de se esconderem em um buraco vão pra luta e estão ganhando essa luta com ações verdadeiras.

Comentar

Seu email não será publicado. É necessário preencher os campos com * *

*