Tá difícil! Mais um aumento na conta de energia em Minas Gerais

Spread the love

A conta de luz dos clientes da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) vai subir quase 3% no próximo mês. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou aumento na cobrança da bandeira vermelha patamar 2, que está em vigor. Isso significa que em vez de R$ 3,50, o consumidor vai desembolsar R$ 5 a cada 100 quilowatts-hora (KWh), elevação de 42,9%.

Desde junho, quando vigorava a bandeira verde, a conta de luz já aumentou 10% devido ao hasteamento das bandeiras amarela e vermelha.

Somente em energia, o consumidor paga cerca de R$ 30 por KWh. Com o reajuste, a bandeira vermelha patamar 2 representa um impacto de quase 17%. “O consumidor não tem percebido o tamanho do rombo. Os aumentos são muito altos e têm sido constantes”, alerta especialistas.

A bandeira tarifária foi instituída com o objetivo de remunerar as distribuidoras pelo gasto com o uso de combustíveis não renováveis, utilizados pelas geradoras. Antes, este custo era repassado ao consumidor anualmente no reajuste da conta de luz. Agora, o repasse é praticamente automático.

Quando há queda no nível dos reservatórios devido à baixa incidência de chuvas, por exemplo, é necessário ligar as usinas térmicas, que são movidas a carvão, gás natural e óleo diesel, entre outras. O valor gasto com esses insumos é maior do que o destinado à água que move as hidrelétricas.

E foi exatamente o que aconteceu em outubro. Conforme dados do Operador Nacional do Sistema (ONS), o nível dos reservatórios das regiões Centro-Oeste e Sudeste, que respondem por 70% da geração elétrica nacional, está em 18,8% do máximo. Em outubro do ano passado, o nível era de 34,8%, quase o dobro. O baixo índice de chuvas é um dos motivos da queda no armazenamento de energia.

Ofertas do Supermercado Dorense

Ofertas da Drogaria Americana

Comentar

Seu email não será publicado. É necessário preencher os campos com * *

*