Lula faz a verdadeira reforma política nas ruas com o povo

Spread the love

Enquanto, no parlamento, a elite discute reforma política que vai na contramão do desejo popular, o presidente Lula, nas ruas das cidades nordestinas, nesse instante, mostra como sintonizar-se, inteiramente, com a população, os seus desejos, os seus anseios, suas reivindicações básicas, que estão sendo suprimidas pelo governo ilegítimo Temer.

Dentro do aquário do Congresso, as elites buscam construir modelo político eleitoral igual a elas, elitista, na tarefa de dificultar a verdadeira democratização do poder, por meio do chamado DISTRITÃO e do SEMIPRESIDENCIALISMO, propostas, essencialmente, antipopulares.

Enquanto Lula abre os braços ao povo para sentir seu calor, suas pretensões, sua vontade de mudança, para construção de um novo país, a partir das demandas sociais, o DISTRITÃO, caricatura eleitoral das elites que deram o golpe parlamentar-jurídico-midiático contra a presidenta Dilma, e o SEMIPRESIDENCIALISMO, voltam-se para fechar, ao povo, sua participação efetiva nos destinos da pátria.

Com Lula e a corrente de emoção que carrega, embalada pela vontade popular de eleger, diretamente, o presidente da República, cria-se sistema eleitoral aberto, participativo, em que a representação política seja construída pela variedade social brasileira, negros, brancos, pardos, índios, mulheres e homens, sem diferenças de gênero.

Já, pelo voto DISTRITÃO e pelo SEMIPRESIDENCIALISMO ocorre o oposto.

São eleitos, pelo modelo distrital puro, quem tem muito dinheiro, para bancar campanhas caras, cujo preço será cobrado, no parlamento, em forma de exigências de grupos sociais elitizados predispostos a ratear o poder para usufruto deles.

Com DISTRITÃO, os partidos, pelos quais as contradições sociais circulam, desaparecem; prevalece, tão somente, interesses dos que desejam transformar democracia em meio de vida, de negócio, adequado, apenas, aos objetivos daqueles que deram o golpe na democracia participativa que, durante 13 anos, o PT construiu, mediante proposta de melhor distribuição da renda nacional.

Os que pretendem se eleger pelo DISTRITÃO são aqueles que golpearam a democracia, que correram, em seguida, para destruir conquistas e direitos sociais, assegurados na Constituição cidadã de 1988, com o objetivo de concentrar renda e promover exclusão social.

Tudo para evitar avanço do poder popular no controle do poder político, democraticamente, eleito.

Para isso foi construído o golpe, para evitar a democratização do poder, no rastro da melhor distribuição da renda nacional.

Os números da Era Petista, que assustam os golpistas, dispostos a construir o antidemocrático DISTRITÃO, falam por si: o PIB de 2002 a 2013 aumentou de R$ 1,48 trilhão para R$ 4,84 trilhões; o PIB per capita, de R$ 7,6 mil passou para R$ 24,1 mil; nossa agricultura, no mesmo período, saiu de 98 milhões de toneladas para 220 milhões de toneladas, transformando o Brasil no maior produtor de grãos do mundo; o salário mínimo aumentou de R$ 200 para R$ 824; as exportações nacionais pularam de 60,3 bilhões de dólares para 242 bilhões de dólares; os programas sociais como Bolsa Família, Luz para Todos, Pronatec, Fies, Farmácia Popular etc, multiplicaram a renda disponível, gerando 22 milhões de novos consumidores; o Brasil saiu do mapa da fome da ONU, com queda de 11,4% da desigualdade social, em comparação aos 2,2% da Era FHC; os gastos públicos em educação saíram de R$ 17 bilhões para R$ 94 bilhões; 38 milhões de pessoas ascenderam à nova classe média e 42 milhões de pessoas saíram da miséria absoluta.

Com essa base material desenvolvimentista, em meio ao sistema eleitoral proporcional, foi possível avançar com a distribuição da renda, diminuição da desigualdade social e acumulação de uma reserva de 380 bilhões de dólares, garantia de estabilidade da moeda nacional contra crises externas.

Os golpistas derrubaram Dilma e tentam evitar candidatura de Lula em 2018 porque a proposta econômica e social do PT, com sistema eleitoral proporcional, é a melhor para o Brasil avançar como nação soberana capaz de estabilizar inflação e desenvolvimento sustentável.

Com DISTRITÃO e SEMIPRESIDENCIALISMO, farsa parlamentarista, engendrada para evitar nova consulta à população, por meio de plebiscito ou referendo, caminhamos para uma superelitização da política, ameaça à segurança nacional, em que se aprofundam desigualdades sociais e econômicas, favorecendo preconceitos, racismo, fascismo etc.

Precisamos de modelo eleitoral moderno de representação partidária pelo qual se promova mudanças qualitativas na proposta de voto proporcional: voto em lista partidária, voto de legenda obrigatório, voto facultativo, para alterar posição do seu candidato em lista preordenada.

Combate-se, dessa forma, predomínio de burocracia partidária.

Permite-se, com essas alterações qualitativas, formação de base parlamentar, ancorada no voto consciente, dado aos candidatos e partidos que se constroem, programaticamente e não pelo toma lá dá cá dos balcões de negócio.

Evidentemente, deve ser energicamente rechaçada manobra que articulam o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia(DEM-RJ), e o ministro do Supremo Tribunal Federal(STF), em favor do retorno do financiamento privado de campanha, responsável pela onda de corrupção que fragilizou democracia brasileira.

Lula, nas ruas, está ensinando que evolução do sistema proporcional é possível, para construção de uma representação popular autêntica, dividida, igualmente, entre homens e mulheres, com recorte racial e geracional, de modo a democratizar o poder político nacional.

Por isso, defendemos PEC nº 283/16 de nossa autoria que propõe representação paritária a fim de consagrar divisão igualitária na representação popular brasileira.

Ofertas do Supermercado Dorense

Ofertas da Drogaria Americana

6 Comentários

  1. Matéria tendenciosa que só mostra os pontos fortes do governo anterior. Os inúmeros pontos negativos não são mostrados! O mais estranho é uma matéria escrita por deputado sendo publicada em um portal imparcial…

    • Jornalista Ricardo Arruda

      Olá Fabrício, obrigado pela sua opinião.
      Gostaria de ressaltar que este texto não se trata de uma matéria, é um artigo de opinião que vem assinado pelo deputado federal e economista Reginaldo Lopes (PT), que irá publicar semanalmente aqui no Portal. Aproveito para oferecer a você ou a qualquer outro deputado, o mesmo espaço, para que possamos ter um debate de ideias. Obrigado e continue com a gente!

    • Os números do PT são incontestáveis…

  2. Realmente muitas coisas boas foram feitas durante o governo PT, porém nada justifica o tamanho da corrupção e desvios feitos durante seus governos. O governo do PT juntamente com PMDB, PSDB…. e companhias, fizeram do Estado Brasileiro uma verdadeira máquina de corrupção, propinas, desvios, troca de favores pessoais em favores políticos. O governo do PT passou todo esse tempo gastando muito mais que arrecadando, e o resultado disto é essa crise sem fim. Mas o que mais me decepcionou no Governo do PT foi o apoio aos regimes Ditatórias pelo mundo, como um país líder na América Latina pode apoiar o governo Venezuelano? Como que um partido desarma toda sua população de bem (estatuto do desarmamento de 2004) alegando que o número de mortes provocadas por armas de fogo iriam diminuir, e quando o que se viu na prática foi o dobro de assassinatos em 10 anos? A bem da verdade é que tanto PT, quanto PMDB, DEM, PSDB são todos farinhas do mesmo saco! Só pesam em si e a população que de F…! E o Lula não é diferente disso NÃO!

  3. Não podemos fechar nossos olhos para o avanço do Brasil enquanto o PT governava. Os números mostram o tamanho do salto.”A corrupção existe há anos”(palavras de um certo deputado defendendo o Temer), mas foi exatamente no governo do PT que se iniciaram as investigações que agora estão escancarando a vergonhosa “política”nos bastidores…inclusive entre seus próprios filiados.Sendo assim, o Brasil se divide na história na era antes PT e pós PT, tanto em avanço em todas as áreas, quanto no escancaramento de sua sangria política.No entanto, o que se vê na era Temer, é um governo que finge de bonzinho liberando FGTS(o que já é de direito do trabalhador), mas “articula”(nova palavra para negociação de propinas) reformas que o próprio governo não tem nenhuma moral pra conduzir…Temos que abrir nossos olhos, nossa mente e analisar realmente o que queremos para o futuro de nossos filhos e nosso país, pois é isto que realmente está em jogo!

  4. Marco Aurelio Silva Resende

    Honestamente, levantar bandeiras de partidos hoje em dia, analisando o panorama nacional é muito arriscado. A mim, não importa se são vermelhos ou azuis mais… Tenho muitos amigos e companheiros aqui em Dores que são petistas (e que tenho grande apreço e respeito, independente da inclinação política – trabalhamos apenas por Dores de Campos), além de outros, que são de outros partidos e não importam quais sejam… mas ler este artigo é de doer o estômago… O Brasil está no fundo do poço, por causa de um governo que não ensinou o povo a pescar (e nem criou tantas oportunidades quanto parece), mas que apenas deu o peixe (esse tanto de bolsa isso e bolsa aquilo)… Mas um site de notícias, um portal, com um jornalista reconhecido regionalmente (quiçá estadualmente) onde apenas deveria comunicar e divulgar informações de interesse popular que são de extrema importância ao povo… Noticiar aquilo que é de fato do seu interesse do DORENSE… No entanto, uma postagem de caráter meramente político, que tenta iludir e induzir o cidadão a entender que enquanto o PT estava na Presidência era tudo lindo e maravilhoso e que existiu um golpe para “impeachmar” a “Presidenta” (Que seja um golpe, não importa, o Temer só piorou o que já estava no brejo)…

    Não creio que levantar uma bandeira, de qualquer cor que seja, vermelha e com estrela, azul e com tucano, ou com uma chama acesa resolva os problemas do Brasil. Enquanto houver quem apoie a segregação de ideais em detrimento do bem comum, sempre teremos quem grite “Fora Temer” O impeachment foi golpe” e que grite “Esquerda pão com mortadela! Seus comunas que querem transformar o Brasil numa Venezuela!”

    EU… não quero nem Temer e nem virar Venezuela… só quero acreditar que aqueles que têm o poder de informar, de noticiar, de comunicar, deixem claro que o Brasil está na merda e que nem um partido e nem outro irão resolver a nossa situação. Quem tem que se levantar e fazer sua voz valer é o povo, e quem está nos meios de comunicação, deve mostrar é isso ao povo… e não ajudar a criar mais ilusões…

    Que outros deputados de outros partidos também tenham seu espaço aqui, para divulgar suas ideias. Mas na verdade, nenhum deles deveria ter este espaço… o povo tem que pensar por si só, e não por falsas ilusões!

    Ricardo, te conheço e respeito seu trabalho… Sou dorense e apaixonado pela cidade, e inconformado com a situação do País… use da sua influência e alcance para mostrar ao povo o poder que o povo tem… lembre-se das Diretas Já, dos Caras Pintadas… A única bandeira que devemos levantar é verde, amarela, azul e branca.

    E nenhuma outra.

Comentar

Seu email não será publicado. É necessário preencher os campos com * *

*