Itaú doou R$ 1 bilhão contra o Coronavírus. Saiba outras doações

Spread the love

A luta contra a pandemia de coronavírus não movimenta apenas o governo, comunidade médica e científica e a população civil. Empresas dos mais diversos setores anunciaram doações, seja em dinheiro ou equipamentos, para hospitais e laboratórios que tentam frear a evolução da covid-19 no Brasil.

Ao todo, mais de 60 empresas anunciaram iniciativas para fortalecer a luta da comunidade médica e científica, totalizando quase R$ 390 milhões em doações. O valor inclui equipamentos de proteção básica e respiradores mecânicos, essenciais no tratamento de infectados pelo Coronavírus.

Veja a seguir algumas das empresas que fizeram doações.

Itaú, Bradesco e Santander

As três maiores instituições bancárias do país, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander, se uniram para anunciar a doação de 5 milhões de testes rápidos para detectar a covid-19, além de equipamentos médicos, como tomógrafos e respiradores.

Individualmente, o Itaú anunciou a doação de R$ 1 bilhão mais R$ 150 milhões para infraestrutura hospitalar, incluindo a compra de equipamentos, além de cestas de alimentação e kits de higiene para comunidades fragilizadas.

Ambev

A empresa de cerveja anunciou logo no início da crise a doação de 500 mil unidades de álcool em gel para hospitais públicos de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, mas não quis detalhar o valor do material.

Já a multinacional AB InBev, dona da Ambev, se uniu a outras cinco empresas para doar o equivalente a R$ 5 milhões em cestas básicas a 60 mil moradores de 52 comunidades pobres espalhadas pelo país.

Magazine Luíza

Uma das maiores varejistas do país, a “Magalu” anunciou a doação de R$ 10 milhões ao combate ao coronavírus. Desse valor, R$ 2 milhões foram para compra de ventiladores pulmonares para o estado de São Paulo e R$ 1 milhão foi doado para a Amigos do Bem, ONG que apoia comunidades carentes no sertão nordestino.

A empresa também comprou equipamentos para hospitais particulares e públicos do estado de São Paulo, além de 4 mil colchões e travesseiros para Pará e Bahia, destinados aos abrigos para as pessoas em situação de rua e pacientes de covid-19.

Gol e Latam

No setor aéreo, as empresas Gol e Latam  estão transportando profissionais de saúde de graça, cobrando apenas a taxa de embarque.

Casas Bahia

A Fundação Casas Bahia, controlada pela Via Varejo, anunciou investimentos de R$ 1 milhão em iniciativas em regiões periféricas, além de fornecer EPIs, como máscaras e luvas para as instituições de acolhimento a idosos em São Caetano do Sul, no ABC Paulista, onde está localizada a sede da Via Varejo.

Natura e Avon

As duas empresas também doaram 2,8 milhões de unidades de sabonetes (em barra e líquido) para comunidades em situação de vulnerabilidade social nos estados em que possui operação.

Ypê

Na mesma linha, a Ype doou 21 toneladas de sabão em barra para Paraisópolis, enquanto a JBS informou a doação de dois milhões de sabonetes que serão distribuídos em mais de 300 mil kits a partir do dia 30 deste mês. O foco das doações serão lares de idosos próximos às fabricas do grupo e favelas das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, tendo o apoio da Central Única das Favelas (Cufa) para distribuição.

Unilever

A empresa anunciou na quinta-feira (26) a doação de 600 mil itens de higiene e limpeza para o estado do Rio de Janeiro. A doação em produtos chega ao valor de R$ 1 milhão, que será repassado para o governo carioca distribuir em hospitais, comunidades e entidades de assistência a idosos.

Lojas Renner

A marca doou R$ 4,1 milhões para hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) em Santa Catarina, Rio Grande do Sul. Parte do valor foi destinado à comunidade do bairro Bom Jesus, em Porto Alegre, próximo à sede administrativa da companhia.

Petrobras

A estatal vai doar 600 mil testes para diagnóstico do novo coronavírus ao SUS. Os kits serão importados dos Estados Unidos e deverão chegar ao país em abril. Desse total, 400 mil serão destinados ao Ministério da Saúde e 200 mil ao estado do Rio de Janeiro. O valor do investimento não foi informado.

Vale

A mineradora afirma que vai doar 5 milhões de kits de testes rápidos para o novo coronavírus, que mostram resultado em 15 minutos. Os itens foram comprados da China e serão entregues ao governo brasileiro até meados de abril, segundo a empresa.

Unilever

Dona de marcas como Rexona, Omo e Dove, a empresa já doou R$ 3 milhões aos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco. Só para o sistema de saúde fluminense, foram doados R$ 1 milhão em produtos de higiene e limpeza, destinados a hospitais e comunidades carentes.

Burger King

Em 17 de março, a rede de lanchonetes anunciou que doaria parte da receita de sanduíches vendidos em março ao Sistema Único de Saúde (SUS). O valor deve chegar a, aproximadamente, R$ 1 milhão.

XP Investimentos

Mesmo afetada pelo derretimento das bolsas, consequência das incertezas trazidas pela pandemia, a maior corretora do país prometeu R$ 25 milhões para ajudar famílias carentes. A intenção é beneficiar ao menos 100 mil pessoas por 3 meses por meio das ONGs Gerando Falcões, Amigos do Bem e Visão Mundial.

Montadoras de veículos

Hyundai dará carona para idosos e profissionais de saúde

A montadora coreana começou a oferecer, no dia 30 março, transportes para idosos e profissionais da saúde durante o período da quarentena. A ação foi realizada na cidade de Florianópolis (SC), mas tem planos de se estender para todo o país.

Segundo a marca, serão usados carros de test-drive para dar caronas a pessoas do grupo de risco para a compra de medicamentos e vacinação drive-thru.

Fabricas da Chevrolet fazem conserto de respiradores

Em Gravataí na região metropolitana de Porto Alegre a fábrica da General Motors (GM) passou a fazer a manutenção dos respiradores para pacientes internados em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI).

Serão cerca de 20 técnicos trabalhando só nessa fábrica, e o projeto já está em expansão para outras 25 unidades instaladas em outros 15 estados. O trabalho está sendo realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem da Indústria (Senai), Ministério da Economia e a Associação Brasileira de Engenharia Clínica (Abeclin), além de mais 10 empresas

Volkswagen disponibiliza 100 veículos para as prefeituras de cidades com fábricas da marca

As prefeituras das cidades de São Bernardo do Campo (SP), Taubaté (SP), São Carlos (SP) e São José dos Pinhais (PR) receberão 100 carros da frota para ajudar no deslocamento de profissionais da saúde, como médicos e enfermeiros. A marca também pretende auxiliar no carregamento de equipamentos de saúde e medicamentos.

Fiat Chrysler mobiliza sua infraestrutura 

A FCA lançou um plano de várias frentes, que vai desde disponibilizar a infraestrutura das fábricas até identificar gargalos estruturais na produção de equipamentos médicos e incentivar empresas produtoras de respiradores mecânicos.

Também em parceria com o Senai, a empresa pretende disponibilizar equipes para o conserto de peças em Minas Gerais e Pernambuco. Apoio a construção de um Hospital de Campanha em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A empresa pretende produzir cerca de 2 mil peças de protetores faciais em suas impressoras 3D, que serão doadas para as unidades de saúde desses estados.

Ford produzirá máscaras no Brasil e Argentina

No Brasil, a Ford se uniu à força-tarefa formada pela Confederação Nacional das Indústrias e do Senai (CNI/SENAI) e outras empresas para a recuperação de respiradores mecânicos descartados ou com necessidade de manutenção, para o tratamento de pacientes com o Covid-19.

A empresa anunciou na última quinta-feira (03) que vai produzir 50 mil máscaras de proteção facial em suas instalações de Camaçari, na Bahia, e de Pacheco, na Argentina. A distribuição será gratuita para as unidades de saúde de cada região.

“A Ford América do Sul está comprometida com a segurança e saúde dos seus funcionários e vai colaborar com os esforços para combater essa pandemia com impactos sem precedentes em todos os aspectos da vida social e econômica”, diz Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul.

Renault produz máscaras e ajuda no conserto de respiradores

A fabricante francesa também participa da luta contra a pandemia no Brasil. Além de ajudar a produzir máscaras para atendimento hospitar em impressoras 3D instaladas na unidade do Paraná, a companhia está trabalhando com o Senai para realizar o conserto de respiradores mecânicos.

De acordo com o comunicado da Renault, esses equipamentos médicos (essenciais para auxiliar na respiração do paciente que está com a capacidade pulmonar comprometida) haviam sido descartados ou precisavam de manutenção — há cerca de 3,6 mil respiradores nessa situação no país.

PSA produzirá protetores faciais no Rio de Janeiro 

A fábrica da PSA em Porto Real (RJ) realizará algumas adaptações para começar a produzir materiais de saúde para a região. As impressoras 3D produzirão máscaras de PET, em um projeto realizado em parceria com o Senai, no Programa Resiliência Produtiva da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

O arquivo do projeto das máquinas é de open source (código aberto), o que facilitou iniciativas particulares a participarem da iniciativa para a produção em larga escala.

Ofertas da Drogaria Americana

Ofertas do Supermercado Dorense

Comentar

Seu email não será publicado. É necessário preencher os campos com * *

*